terça-feira, 16 de março de 2010

;

Para mim o amor é um abismo no qual jogar-se é necessário - cair, perde-se de si e dentro de si. É como uma eterna queda ao desconhecido, ao nada, ao chão.